Adormecido


No cenário da tua vida
aclamas noites alucinantes
de gentes estonteantes
que são tanto como tu

No teatro do teu olhar
há quem note que a coragem
não passa de uma miragem
com preguiça de gritar

No repetir do teu mostrar
inventas-te uma história
que em ti não há memória
porque sabes que não é tua

Houve alguém que te conheceu
Que te faz tremer ao passar
porque nunca a deixaste de amar

Continuas a ensaiar
a conveniência do sorriso
o planear do improviso
que te faz sentir maior

no artifício dos teus gestos
pensas abraçar o mundo
quando nem por um segundo
te abraças a ti mesmo

e assim vais vivendo
e assim vais andando aí
e assim vais perdendo em ti
tudo aquilo que nunca foste

Houve alguém que te conheceu
Que te faz tremer ao passar
porque nunca a deixas-te de amar

Quando um dia acordares
numa noite sem mentira
e te vires onde não estás
vais querer voltar para trás







Captcha
Widget